Mentawai Trip – Paraíso do surf (parte 2)

Bom, não tive muito tempo para escrever desde que voltei das Mentawais, mas agora finalmente apareceu algum, junto com a vontade de relatar tudo (ou quase tudo, pois é bastante coisa) o que aconteceu. Acho que a primeira coisa a se dizer é que a viagem é muuuuuuiiiitooo longa, cansativa, mas vale cada minuto dentro do avião, barco, bicicleta, ou qualquer outra soma de transportes que você for tomar para chegar até lá, pois simplesmente o lugar é mágico, além de onda para todos os gostos e estilos de surf, desde o mais hardcore até o mais easy e divertido.

Como eu disse antes, a viagem é longa e cansativa, e a minha começou com um voo saindo do RJ para SP, junto com mais 7 horas de espera lá antes de pegar o próximo voo para Abu Dhabi. Chegando em Abu Dahbi, mais 6 horas de espera do voo para Jakarta. Chegando em Jakarta, esperei umas duas horas por Bárbara, que vinha da Austrália pra me encontrar, e depois mais duas horas para pegar o voo para Padang.

Rumo à Padang

Quando cheguei no homestay que iríamos ficar antes de pegar o barco para Mentawai, depois de 3 dias viajando, eu nem sabia mais quem era eu, precisava muito descansar, pois eu não consigo dormir em voos e nem na espera das conexões, logo, estava quase 72 horas sem pregar o olho, vivendo a base de comida de avião e lanche nos aeroportos, mas finalmente pude comer algo decente e dormir numa cama assim que cheguei em Padang. Ufff só isso tudo já é uma aventura, pois só para chegar em padang, foram 20.000km!

Caminho saindo do RJ até Padang

RJ até Padang

Essa era só a primeira parte da viagem. No dia seguinte, um pouco mais descansado e recuperado da viagem, eu e Bárbara saímos para explorar Padang. Padang não é um lugar turístico, nem muito bonito, mas de qualquer forma, a experiência de explorar a cidade foi incrível. Por não ser um lugar turístico, você se torna a atração turística. É um pouco constrangedor no início ver todos, mas absolutamente TODOS te olhando na rua, pois VOCÊ é o ser diferente ali. Por ser um país com a maior porcentagem de muçulmanos no mundo, a pessoas andam mais cobertas, então ter seres estranho (eu e Bárbara) andando de bermudas e chinelos no meio da cidade deveria ser algo realmente diferente. Depois de algumas horas me sentindo mal por ser olhado o tempo todo, tentei ver pelo lado bom e comecei a achar aquilo engraçado e prestar menos atenção. Passamos o dia preparando nossas coisas, fomos trocar dinheiro, comprar coisas para comer, etc.

Dia seguinte foi o dia de preparação para partir para Mentawai, então fomos comprar suprimentos, revisar equipamentos, etc, além de explorar mais a cidade, visitar uns templos e até fazer uns amigos!


Next day, finalmente é chegada a hora de partir para Mentawai, e ai que a aventura começa de verdade. Pegamos um speedboat, que nos levou diretamente para Nyang-Nyang, na região de Playgrounds. A viagem é pesada, ainda mais para pessoas que enjoam em barcos, como eu. Depois de 5 horas me segurando para não botar a alma para fora, já podíamos avistar o arquipélago, e só consegui colocar uma expressão para fora: Bonito pra car**ho! Nunca tinha visto algo tão belo na vida, um lugar tão paradisíaco. Assim que chegamos, fomos recepcionados pelo responsável pelo camping, que denominou-se Mr Côco, e sabia um monte de palavras *legais* em português, herança de hóspedes brasileiros que vão ao camping durante anos :p

Bom, chegamos na hora do almoço, comemos, descansamos um pouco e por volta das 15h, eu e Bárbara fomos ver como era Beng-Beng, uma esquerda 25 minutos  a pé do camping. Chegando lá, estava pequeno, mas um pequeno tão perfeito que ficamos alucinados. As ondas quebram com uma perfeição incomparável, nunca tinha visto aquilo. Surfamos por aproximadamente duas horas e voltamos ao camping.

Confesso que no começo fiquei com medo dos corais, que são rasos e afiados, além de bem visíveis, pois a água é cristalina. Isso me deixou um pouco travado de início, mas depois me acostumei e comecei a pegar mais onda. Os dias foram se passando, fomos conhecendo outros picos, como Nipussy, Pit Stop, Hideways, entre outros. Dica: Alugue um barco para se locomover, pois vai gastar mais energia se locomovendo a pé pela ilha do que surfando. Alguns outros hóspedes chegaram, eram um grupo de estrangeiros que moravam em Bali, uma inglesa, uma finlandesa, um austríaco e uma suiça. Fizemos uma parceria bem legal e geralmente saíamos todos juntos para surfar, eu, Ba, Marcos, André e grupo de gringos :p

 

 

Por coincidência, a data do meu aniversário caia durante minha estadia em Mentawai, que foi um coincidência muito feliz, pois a comemoração foi no melhor estilo. Mr Côco, o gerente, fez uma fogueira enorme para mim, além da Ba ter pedido para que fizessem um bolo de aniversário. Foi uma das coisas mais legais que me aconteceram. Cantaram parabéns, em inglês, português, indonésio, uma pluralidade total. Fiquei muito feliz por receber tanto carinho de pessoas tão legais.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Passamos a noite conversando e nos divertindo, logo depois fomos dormir, para dia seguinte aproveitar mais as ondas. Os dias foram se passando e chegou a hora de partir, e como geralmente partidas nunca são ocasiões felizes, essa também não fugiu do escopo, por mais que eu estivesse muito feliz de ter conhecido tanta gente boa, ter passados tantos momentos bons, vistos lugares tão lindos e surfado as melhores ondas da vida. Sai de Mentawai com gosto de quero mais, com a certeza que precisava voltar e de que tinha achado o paraíso. Com certeza vou voltar e tentar repetir cada sensação boa que tive desta primeira vez. Finalmente pegamos um speedboat para Tuapejat, uma outra ilha, de onde iríamos pegar mas um barco, dessa vez um ferry boat, grande e sujo, que demoraria mais 12 horas até Padang, na ilha de Sumatra. Vou pular a parte de viagem no barco, pois ela é chata e cansativa, mas posso dizer que não foi a viagem mais agradável da minha vida, pois o barco é sujo, balança muito e… enfim, simplesmente bizarro, mas tudo vale a pena quando a alma não é pequena, não?

 

Chegando em Sumatra, passamos mais uma noite no homestay, para enfim pegarmos nossos voos para suas casas, eu para o Brasil, Bárbara para Austrália. Depois de mais 2 dias viajando de volta, cheguei inteiro, com alguns cortes dos corais, totalmente cansado, mas inteiramente feliz também! Foi a melhor trip da vida até hoje, Indonésia é um lugar sensacional! Terima Kasih Indonésia!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s